9.11.09

A filha da empregada

Para continuar a minha trilogia de monólgos autoficcionais estou pensando em fazer "A filha da empregada", logo após ao meu próximo projeto "A dona do fusca laranja" que finalmente pretendo realizar o ano que vem.
A filha da empregada é como meu amigo Ramon Mello me chama. Quando ele vai me apresentar a certas pessoas, eu já estou lá no canto da casa, encostada na parede, com o pé em direção a porta. Sempre fico com vergonha de pessoas que admiro, não sei o que fazer, não sei o que dizer, tenho medo de falar muito, de falar nada, de ser chata, de estragar tudo. Então fico encostada no canto, só olhando.
Até parece que sou tímida, na verdade sei que não sou, mas tenho esse complexo de "filha da empregada". Só chego mais perto quando me sinto a vontade, e tem essas pessoas que te deixam a vontade, é incrível.  As conversas de poucos minutos ou algumas horas, não se sabe se vai repetir a dose, mas algumas vezes elas remexem questões tão íntimas que reverberam aqui na alma....





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog

Quem sou eu